+55 11 4349 -1370

Queda de cabelo pós COVID

Fique atualizado através de informações úteis para sua saúde física e mental.

O Eflúvio Telógeno é um tipo de alopecia não cicatricial, caracterizada pela queda significativa dos cabelos (cerca de mais de 100 fios por dia), como consequência de uma passagem abrupta e prematura dos fios em fase de crescimento ou anágena para uma fase de repouso e liberação da haste capilar ou fase telógena.

Existem vários fatores desencadeantes do Eflúvio Telógeno como alterações metabólica, nutricionais ou hormonais, alguns medicamentos, estresse, febre, grandes cirurgias, hemorragias, dentre outros.

No caso do Eflúvio Telógeno associado à infecção pelo Sars-Cov-2, a própria reação inflamatória da doença e a febre, liberam substâncias pró-inflamatórias e aumentam as demandas metabólicas do organismo, desencadeando assim o quadro de queda capilar em torno de 2 a 3 meses pós-Covid.

Embora preocupante e com duração de 2 a 6 meses, a evolução e o prognóstico tendem a ser favoráveis, e o tratamento é realizado pelo médico especialista em doenças da pele e couro cabeludo, através de shampoos específicos, loções capilares, suplementos vitamínicos, LLLT (Low Level Light Therapy) e até com laser não ablativo.

Referências:

  1. Moreno-Arrones O. M., Lobato-Berezo A., Gomez-Zubiaur A., et al. SARS-CoV-2-induced telogen effluvium: a multicentric study. Journal of the European Academy of Dermatology and Venereology 2020. doi: 10.1111/jdv. 17045
  2. Giulio R, Federico D, Anna C, et al. Telogen effluvium related to post severe Sars-Cov-2 Infection: clinical aspects and our management experience. Dermatologic Therapy 2020. doi: 10.1111/dth. 14547

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts mais Lidos

Obrigado por ter se cadastrado em nosso site

Em breve entraremos em contato com novidades.

Nutrição Clínica é o tratamento de doenças por meio da Alimentação.

O nutricionista através de exames específicos é capaz de descobrir qualquer disfunção nutricional, como resistência à insulina, distúrbios alimentares ou dificuldade de absorção de nutrientes, entre outros.

A prevenção de enfermidades também é um dos focos da Nutrição Clínica.
 Veja abaixo algumas doenças que podem ser tratadas com orientação do nutricionista:

    1. Doenças Crônicas: Diabetes, hipertensão, aterosclerose e outras;
    2. Doenças Metabólicas: doença celíaca, intolerância à lactose e similares;
    3. Transtorno Alimentar: Bulimia, anorexia e compulsão alimentar;
    4. Magreza excessiva: IMC abaixo de 18,5;
    5. Obesidade e Sobrepeso;
    6. Desequilíbrio nutricional em atletas.