+55 11 4349 -1370

Rejuvenescimento facial: o que é, por que acontece e os melhores tratamentos

Fique atualizado através de informações úteis para sua saúde física e mental.

Olhar no espelho se torna uma experiência nova com o passar dos anos, visto que linhas de expressão, rugas e marcas que antes não existiam vão surgindo em nosso rosto. Não é para menos: a pele é o órgão que mais reflete os sinais do envelhecimento. A boa notícia é que, se não é possível lutar contra o tempo, podemos contar com a estética de alto impacto, que tem avançado em técnicas de rejuvenescimento facial.

Desse modo, separamos aqui algumas dicas para você aplicar no seu dia a dia que previnem os efeitos da idade, além das tecnologias mais modernas para recuperar a jovialidade!

O que causa o envelhecimento da pele?

Dois fatores impulsionam o envelhecimento da pele: o primeiro deles está ligado ao processo natural do nosso corpo, que vai diminuindo a renovação celular com o passar dos anos.  Mas outras mudanças também acontecem neste processo, como, por exemplo, a perda de tecido fibroso e a redução da rede vascular e dos níveis hormonais. Além disso, a produção de proteínas importantes para dar sustentação à pele, como o colágeno e a elastina, também diminui. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, as funções fisiológicas normais podem cair em 50% até a meia-idade.

O outro tipo de envelhecimento, entretanto, está relacionado a fatores externos, como o excesso de luz solar sem proteção, tabagismo, má alimentação e sedentarismo.

Qual é o melhor tratamento para o rejuvenescimento facial?

Não é preciso se desesperar! Os sinais do tempo existem, contudo, são perfeitamente tratáveis com métodos eficazes. O Andrus Criofrequência está entre as melhores técnicas não-invasivas para o rejuvenescimento facial. É um procedimento que não utiliza agulhas ou anestesias e possui resultados comprovados clinicamente e cientificamente. Só para ilustrar: esse equipamento utiliza a tecnologia de radiofrequência, que atua gerando calor, com o resfriamento da ponteira. O choque térmico entre as temperaturas opostas provoca uma contração imediata no tecido conjuntivo, o que estimula a produção de colágeno e elastina. Como já vimos, essas proteínas são importantes para a vitalidade da pele. Além disso, o Andrus também faz uma reorganização das fibras de colágeno, e melhora a oxigenação e dilatação dos vasos.

O Andrus Criofrequência também produz um “efeito lifting” imediato, ou seja, na primeira sessão, já é possível ver a diferença na pele. Outro ponto positivo desta técnica é que, por utilizar temperaturas frias, o procedimento é confortável para o paciente.

Conheça o tratamento com o Andrus!

Como contribuir para o rejuvenescimento facial?

Ainda assim, apesar das técnicas vistas acima, podemos cultivar alguns hábitos diários a fim de prevenir e amenizar os sinais do tempo!

Enfim, veja o que fazer para ajudar o rejuvenescimento facial:

Beba água, poisela ajuda a eliminar toxinas que causam o envelhecimento.
 Alimente-se de forma equilibrada, porque alguns alimentos, como o açúcar, são vilões da nossa pele, enquanto outras substâncias ajudam a protegê-la.
 Pare de fumar, o cigarro é um grande causador do envelhecimento precoce.
Use protetor solar todos os dias e aumente a proteção quando se expor ao sol.
 Lave o rosto diariamente, pela manhã e à noite.

Agende a sua avaliação!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts mais Lidos

Obrigado por ter se cadastrado em nosso site

Em breve entraremos em contato com novidades.

Nutrição Clínica é o tratamento de doenças por meio da Alimentação.

O nutricionista através de exames específicos é capaz de descobrir qualquer disfunção nutricional, como resistência à insulina, distúrbios alimentares ou dificuldade de absorção de nutrientes, entre outros.

A prevenção de enfermidades também é um dos focos da Nutrição Clínica.
 Veja abaixo algumas doenças que podem ser tratadas com orientação do nutricionista:

    1. Doenças Crônicas: Diabetes, hipertensão, aterosclerose e outras;
    2. Doenças Metabólicas: doença celíaca, intolerância à lactose e similares;
    3. Transtorno Alimentar: Bulimia, anorexia e compulsão alimentar;
    4. Magreza excessiva: IMC abaixo de 18,5;
    5. Obesidade e Sobrepeso;
    6. Desequilíbrio nutricional em atletas.